O Mar Começa Aqui | Trabalhos

Escola Básica e Secundária Santos Simões (Guimarães)

Fase I - Escola: proposta

Memória descritiva da imagem:
A imagem selecionada foi desenvolvida por uma aluna do 12.º ano, no período de confinamento, e orientada, à distância, pela sua professora de Educação Visual. Foram utilizados materiais básicos de desenho e de pintura.
O desenho representa um polvo que guarda a sargeta, impedindo que os resíduos sejam arrastados pelas águas pluviais e cheguem ao mar.
O polvo é um animal conhecido pela sua inteligência, daí que seja, no contexto deste projeto, um símbolo da estratégia delineada no sentido de contribuir para um melhor desempenho ambiental da escola e da comunidade. Este animal tem muitos braços, dinâmicos e flexíveis, que representam todos os membros da comunidade, que têm a missão de assumir uma atitude proativa em termos de sustentabilidade global e, em particular, na redução e na correta deposição dos resíduos.
O polvo também possui grande capacidade de regeneração e adaptabilidade. Tem a aptidão de, perante o perigo, se livrar dos seus tentáculos e regenerá-los, pelo que representa a convicção de que ainda é possível mudar hábitos e reverter os problemas ambientais, salvando os oceanos e o Planeta.
Na pintura final da sarjeta, além do desenho selecionado, também irão figurar os logotipos do Programa Eco-Escolas, do programa PEGADAS do Município de Guimarães e do Agrupamento de Escolas Santos Simões.

Proposta de imagem a pintar:

Memória descritiva do projeto:
O objetivo fundamental da participação da nossa escola neste projeto foi sensibilizar toda a comunidade escolar, bem como a comunidade envolvente, para a problemática da poluição ambiental, em particular dos recursos de água doce e dos oceanos, alertando para o facto de, independentemente da distância a que uma comunidade se encontra da costa, o lixo produzido e mal depositado, além de poluir o solo, acaba sendo levado pelas águas pluviais, afetando a qualidade da água em todo o seu percurso e, consequentemente, as espécies que dela dependem, nomeadamente as espécies marinhas, pois, em última instância, é no mar que o lixo vai acabar.
Assim, pretende-se chamar a atenção para este problema, de modo a produzir alterações nos padrões de comportamento dos jovens e das suas famílias.
Tendo em conta que a operacionalização do projeto iniciou já na fase de confinamento, devido à Covid 19, o desafio foi lançado sobretudo às turmas do 3.º ciclo e do Ensino Secundário, por se considerar que estes alunos teriam maior autonomia para desenvolver os respetivos trabalhos, uma vez que a supervisão por parte dos docentes só poderia ocorrer na modalidade de Ensino à Distância.
Inicialmente, com a finalidade de envolver toda a comunidade escolar no projeto, pretendia-se lançar um concurso, nas páginas digitais do Agrupamento, para eleger a imagem final que seria pintada numa sargeta e que representaria a escola. Por questões de timing isso não foi possível, pelo que a imagem final foi selecionada por um júri composto pela Presidente do Conselho Eco-Escola (uma aluna do 12.º ano), por dois alunos (do 2.º ciclo e do 3.º ciclo), pelas professoras coordenadoras do Programa Eco-Escolas, por uma professora de Educação Visual e um professor de Biologia.
No entanto, todos os trabalhos produzidos no âmbito deste projeto serão, posteriormente, divulgados nos canais do agrupamento, nomeadamente, na página Instagram “Eco Influenciadores”, criada no âmbito 5.ª Edição do Eco Parlamento e do projeto “Jovens Influenciadores – Plano Santos Simões.

Fase II - Escola: execução

Fase II - Município: evidências