O Mar Começa Aqui | Trabalhos

Jardim de Infância Beatriz Costa - Charneca (Mafra)

Fase I - Escola: proposta

Memória descritiva da imagem:
Memória descritiva da imagem
Para a “construção” desta imagem foi debatida a escolha entre duas obras de arte cujas imagens remetiam para temas marítimos. A obra de arte escolhida pelas crianças, em votação de dedo no ar, foi a do pintor/escultor José de Guimarães, da Série Cartago, 2002. Boulders (imagem 2),que apresenta cores atrativas e que, coincidentemente, são as cores das salas da nossa escola.
Foram analisadas outras obras deste artista contemporâneo – esculturas e pinturas.
Questionadas as crianças acerca da técnica que gostariam de usar, a resposta foi quase unânime na pintura, tendo algumas crianças sugerido a colagem.
Da análise da imagem, as crianças também compreenderam que a cor amarela e a cor verde só são usadas uma vez, bem como o preto. E referiram que o azul claro surge mais vezes do que todas as outras cores.
Após uma manhã de pintura intensiva (na qual as crianças também perceberam que o azul claro se adquire na composição de azul escuro e branco), procedeu-se à escolha daquela que melhor se assemelhava à obra de arte daquele autor. A pintura escolhida é aquela que surge neste projeto.
Quando se procedeu à contagem do número de sumidouros que a escola tem, as crianças verificaram que existiam 10 dentro da escola. No exterior da escola encontrámos um do mesmo tamanho que os da escola e, ainda, um muito maior que encantou os mais corajosos.

Proposta de imagem a pintar:

Memória descritiva do projeto:
Memória descritiva do projeto
O chão da nossa escola é, frequentemente, pintado com giz da forma criativa e colorida que as crianças fazem. Por vezes, nestas “grades” que interrompem o cimento, caem brinquedos ou peças de brinquedos pequeninos que, na maioria das situações, não se conseguem tirar, por mais agilidade que tentemos emprestar a um arame que as crianças crêem ser um salvador daquele problema. Já explicámos, diversas vez, que ali começa uma nova história com grandes aventuras, imaginando que existem seres incríveis naquela escuridão.
Perante este desafio, no entanto, começámos por explicar às crianças que aquelas grandes aventuras podem ser prejudiciais ao Planeta Terra, alertando que tudo o que cai ali vai, a qualquer momento, poluir o mar, os oceanos, pôr em causa a saúde dos peixes (e, em última análise, a nossa saúde).
Esta conversa teve como objetivos:
- Promover uma progressiva tomada de consciência das questões ambientais;
- Ajudar a perceber a necessidade de respeitar os recursos da natureza;
- Capacitar as crianças para expressarem a sua opinião sobre mudanças necessárias na escola e no mundo que a rodeia;
- Participar em ações dirigidas à melhoria do seu bem-estar e dos que a rodeiam;
- Promover a capacidade de mudança de atitudes face ao ambiente no seu meio local.
Assim, sob a orientação dos educadores:
a) foi provocada uma discussão sobre o tema (como fazer? o que fazer? que imagem escolher?)
b) uma das educadoras sugeriu procurar imagens na maleta das artes que existe numa das salas;
c) de entre duas imagens temáticas encontradas, a votação recaiu na obra de arte de José de Guimarães;
d) definida e analisada a obra artística, as crianças (maioritariamente) decidiram que iria ser realizada a abordagem através da técnica de pintura.
Neste projeto transdisciplinar pode verificar-se a confluência da educação ambiental - como ponto de partida - e a educação artística, valorizando o património natural, mas também a aquisição de conhecimentos, a fruição da obra de arte e a capacidade de refletir acerca daquilo que nos rodeia.
Salvaguarda-se que, devido ao encerramento das escolas, não foi possível realizar a pintura de um dos sumidouros da escola, como era sugerido no projeto.
Jardim de Infância Beatriz Costa
Coordenador do projeto: Ed. Regina Garcia
Educação pré-escolar, 91 crianças, dos 3 aos 6 anos

Fase II - Escola: execução

Fase II - Município: evidências